22/08/2019 às 15h27min - Atualizada em 22/08/2019 às 15h27min

Permissionários de vans criticam novo sistema de transporte na Rádio Aurora

Estiverem presentes no programa 'A Voz de Campos' os representantes de cooperativas de vans, Bruno Santana, Alex Matos e Fabiano, onde foram esclarecidas dúvidas dos ouvintes e expostas as reivindicações da categoria

Redação
Reprodução
A Rádio Aurora apresenta de segunda a sexta-feira, o programa A Voz de Campos. E nesta quinta-feira (22), o apresentador Germando Santos abordou como tema principal o novo sistema de transporte tronco alimentador  de Campos. Com participação dos representantes de cooperativas de vans, Bruno Santana, Alex Matos e Fabiano, foram esclarecidas dúvidas dos ouvintes e expostas as reivindicações da categoria.

O programa iniciou com críticas às estruturas montadas provisoriamente para a integração dos transportes:

“Quando foi criado esse conceito do transporte tronco alimentador, foi criada também uma ideia que oferecia uma estrutura. E, era uma estrutura que poderia assegurar todo esse sistema. Mas, o que estamos vendo hoje, o que foi nos vendido era uma coisa, mas o que está sendo feito é outra.”, alegou Bruno Santana.

Durante a programação foram expostas, através de comentários na live da página oficial da Rádio Aurora e pelo telefone, situações como a falta de logística, viatura, segurança e fiscalização no terminal do setor A. Além, da não liberação do terminal do Shopping Estrada e a demora dos ônibus para chegar e sair do terminal, deixando os usuários esperando por maior tempo.

“O projeto na teoria funciona, mas na prática não”, disse Alan, permissionário de van, através do telefone.  “Os passageiros não querem parar no meio do caminho para fazer transição”, concluiu.

“Nós não somos contra o sistema e a ideia. Está se criando uma narrativa de colocar um contra o outro, para criar uma cortina de fumaça. O sistema foi criado para atender de forma digna esses dois modais.”, afirmou Bruno. “Estão nos colocando em uma situação que não estamos nem conseguindo tirar o dinheiro do diesel. Está sendo um ato covarde.”, concluiu.

A redação do Jornal Aurora entrou em contato com a Prefeitura, com perguntas direcionadas ao presidente do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT), Felipe Quintanilha, sobre questionamentos do novo sistema tronco alimentador. Confira as respostas:

1-Por que o terminal do sistema tronco alimentador do Shopping Estrada 
ainda não foi liberado?

R: O presidente do IMTT,  Felipe Quintanilha esteve ontem com os interlocutores dos Setores C e F para organizar o início da operação, que se dará, neste final de semana e na segunda-feira. Hoje e amanhã os locais das estruturas provisórias serão vistoriados, bem como o Shopping Estrada, que abriga o setor F. 

2- Por que ainda não houve a liberação do cartão para a máquina de bilhetagem eletrônica que segundo os permissionários está pronto há mais de um mês?

R: Se a pergunta em questão for quanto ao cartão de desbloqueio do validador, esta é uma questão que diz respeito ao permissionário e a empresa de bilhetagem.

3- Por que a construção dos terminais não aconteceu antes da implantação do 
novo sistema?

R:Desde o início do processo foi enfatizado que os terminais não eram condições primordiais para o início das atividades, uma vez que a integração era temporal, não física. O que os permissionários devem se concentrar a fazer era a efetiva implantação do sistema de bilhetagem. 

4- Alegando estarem com 234 carros prontos, os permissionários lançaram a questão sobre o porquê de ainda não ser liberados para o trabalho?

R: No total, são 96 veículos circulando atualmente, dos setores A e B. Os setores C e F devem voltar a circular nos próximos dias. Já nos setores D e E, ajustes com os interlocutores estão sendo realizados.

5- Foi relatado um suposto favorecimento da presidente da Cooperativa de Vans do Farol de São Tomé, e do presidente da Cooperativa de Goitacazes pelo IMTT. Alguma resposta?

R: Quanto à última indagação, são acusações levianas, que já foram feitas em sede de processos,  que estão sendo apuradas devidamente, deixando claro que todo o processo foi feito de maneira transparente, com toda lisura e obedecendo a toda legislação vigente. Tanto que já foi por diversas vezes alvo de ações judiciais e em todas elas, a justiça não concedeu qualquer tipo de reconhecimento de mácula no procedimento licitatório.


O programa completo pode ser conferido através do link. (Aqui)
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp