27/03/2023 às 20h01min - Atualizada em 28/03/2023 às 00h00min

Ney Matogrosso faz rara apresentacao em NY

SALA DA NOTÍCIA Denny Silva
Assessoria
Divulgacao/Marcos Hermes
NEY MATOGROSSO - DESCONECTADO
 
A lenda do Glam-Rock brasileiro apresenta seu show de voz e piano raramente tocado,
Apresentando o renomado mestre do piano Leandro Braga
 Matogrosso revisita seus grandes sucessos junto com marcos do pop brasileiro, CAETANO VELOSO, ROBERTO CARLOS, E Outros
 
Participação Especial da Ícone do Fado Português MARIZA
 
 No proximo 21 de abril de 2023, em uma série contínua de concertos em língua portuguesa com curadoria do ícone do fado Mariza, o The Town Hall apresentará uma rara aparição nos Estados Unidos da lenda do glam-rock brasileiro Ney Matogrosso. Aos 81 anos, o cantor continua sendo um dos artistas mais eletrizantes e destemidamente extravagantes de seu país. Contemporâneo direto de David Bowie, Matogrosso surgiu em 1971, quando uma brutal ditadura militar silenciava todas as vozes contrárias. Tudo nele quebrava as regras. Seu estranho tenor agudo era a própria androginia; em seus shows descaradamente sexuais com uma revolucionária banda de glam-rock, Secos & Melhados, ele usava maquiagem berrante em preto e branco e fantasias selvagens e acabava quase nu.
 
Matogrosso - nascido Ney de Souza Pereira no estado brasileiro de Mato Grosso do Sul - não gostava de se esconder e se tornou um herói inovador na história gay do Brasil. Mas seu apelo cruza todas as fronteiras e não depende de ultraje. Em turnê com seu álbum de 1987 Pescador de Pérolas (Pearl Fisher), ele usava um smoking branco e se apresentava com um grupo de estilo de câmara. “Eu li muito nos jornais que fiz sucesso por causa de escândalos”, diz ele. “Resolvi mostrar ao público algo mais sério.” O show provou, para ele e para todo o Brasil, que só seu canto e sua inteligência musical poderiam cativar o público.
 
No The Town Hall, Matogrosso – cuja voz não perdeu nada com o tempo – se apresentará em sua forma mais despojada de todos os tempos, apenas com o piano de Leandro Braga, um dos maiores acompanhantes e arranjadores do Brasil. Colaborador do Matogrossense há quase trinta anos, Braga é conhecido pelo gosto requintado e pela imaginação; ele aprimorou o trabalho de muitos ícones brasileiros - Chico Buarque, Edu Lobo, Marcos Valle, Ivan Lins, Elba Ramalho, Beth Carvalho, Fafá de Belém - e lançou vários de seus próprios álbuns, incluindo o aclamado Fé Cega (Fé Cega), um jazz tributo a Milton Nascimento.
 
Marcos Hermes

Marcos Hermes


Braga e Matogrosso raramente apresentaram o show de vozes de piano, tornando sua apresentação na Câmara Municipal ainda mais um acontecimento. “Há momentos intimistas”, diz Braga, “mas o show tem muita energia. Nós dois gostamos de experimentar coisas novas, mas quando jogo com Ney não estou lá para lançar desafios; Eu simplesmente o apoio.” Assim como Mariza, uma estrela mundial e duas vezes indicada ao Grammy Latino, em uma participação especial com Matogrosso. Grande fã, ela o escolheu para esta série; seu próprio show acontece no The Town Hall em 22 de abril.
O repertório do show de Matogrosso faz um grande recorte de sua história, ao mesmo tempo em que destaca diversos momentos dramáticos das últimas nove décadas do pop brasileiro. O cantor revisitará seus anos (1971-1974) com os Secos & Molhados, banda que constantemente inflamava a censura brasileira. Ele mergulhará na década de 1930 com “Ultimo Desejo”, a trágica balada de amor rejeitado do pioneiro do samba Noel Rosa; e “Da Cor do Pecado”, que compara raça e fascínio sexual de forma ousada. O hit dos anos 1980 “Nada por Mim” foi coautoria de Herbert Vianna e Paula Toller, as respectivas estrelas de duas grandes bandas de rock, Os Paralamas do Sucesso e Kid Abelha. Na versão barebones de Matogrosso, as palavras brilham como nunca antes.
“Um Pouco de Calor” (A Little Heat) revela o olhar aguçado de Matogrosso para canções recentes de alto nível; este é de Dan Nakagawa, compositor, cantor e ator nipo-brasileiro com quem gravou um álbum em 2009.
 
Hoje Matogrosso está trabalhando “mais do que antes da pandemia”, diz. Ele lançou sua autobiografia em 2018. Sua carreira musical lhe rendeu cinco indicações ao Latin GRAMMY. O álbum de 2021 de Matogrosso, Nu com a Minha Música, lançado pela Sony Music, é a mais recente adição a um catálogo de tanto prestígio que a Universal Music lançou duas caixas de seus álbuns solo até 2009, totalizando 33 CDs. Seu show no Town Hall mostrará a Nova York um fenômeno brasileiro em seu auge duradouro.
https://www.youtube.com/watch?v=DsdiH37ewpE
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalaurora.com.br/.
Jornal Aurora Publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp