23/06/2019 às 12h30min - Atualizada em 23/06/2019 às 12h30min

Alunos de Campos montam projeto para analisar qualidade da água

Projeto aprovado do Viva a Ciência na Escola será realizado por alunos da Escola Municipal José do Patrocínio

Supcom
Supcom
Foi a partir de uma atividade realizada em março, mês em que se comemora o Dia Mundial da Água, e da conversa com alunos em sala de aula que a ideia surgiu. Analisar a qualidade da água na casa dos colegas estudantes da Escola Municipal José do Patrocínio, na Penha. Esse é o projeto do Viva a Ciência na Escola aprovado pela Prefeitura a cargo dos pesquisadores juniores Izabelle Marques, 15 anos, Kassiany Alves, 14, e Allex Lima Martins, 15, orientados pela professora de Ciências Elrise Sanches F. de Sousa. O Viva a Ciência na Escola é uma iniciativa da superintendência de Ciência, Tecnologia e Inovação em parceria com a secretaria de Educação Cultura e Esporte (Smece).

No Laboratório de Ciências da Escola, os alunos se reúnem em aulas preparatórias do projeto, que terá como parceiro o Laboratório de Biologia de Reconhecer, na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf). Os alunos farão coleta de amostras em 50 residências dos colegas. De volta ao laboratório da escola, farão a testagem com o kit Colitest e construirão uma estufa para acondicionar as amostras.

"Fizemos um levantamento através de questionário que apontou que 24% dos alunos entrevistados moravam em casas abastecidas com poço raso. Assim surgiu a ideia de testar essa água e o professor microbiologista Jorge Petretski, da Uenf, entrou como apoiador do projeto", explica a professora.

Kassiany, Izabella e Allex querem seguir carreiras distintas na graduação (psicologia, direito e engenharia mecânica), mas concordam que a experiência como pesquisadores ainda no Ensino Fundamental será uma vantagem na vida acadêmica. 

"Fizemos um questionário, já separamos quais são as casas que vamos trabalhar e faremos a coleta de três amostras diferentes em cada uma delas. Vamos construir uma estufa aqui no laboratório também e acho que será muito legal", explica Izabella, animada com a missão. 

Os jovens ainda vão visitar uma das Estações de Tratamento de Água da cidade, da Águas do Paraíba, para conhecer todas as etapas e depois irão montar um protótipo de uma miniestação de tratamento de água.

"A iniciação científica desperta nos alunos o interesse pela Ciência. Esse projeto particularmente tem impacto no cotidiano das famílias envolvidas, pois aproxima a formação científica de jovens à aplicação do conhecimento na sociedade. Além de colocar o aluno como elemento central no processo de aprendizagem", comenta a coordenadora de Ciências da Smece, Carla Sales.

O Viva a Ciência na Escola teve 36 projetos aprovados, que tiveram início oficial em junho. São projetos desenvolvidos por alunos do segundo segmento do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) e da VI a IX fase da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da rede municipal de ensino. Três estudantes receberão bolsas mensais de R$ 120 durante os 12 meses de pesquisa. Os professores orientadores receberão uma Taxa de Bancada no valor de R$ 1 mil para a aquisição de materiais necessários ao desenvolvimento dos projetos. Os recursos são oriundos no Fundecam.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp