10/05/2019 às 13h46min - Atualizada em 10/05/2019 às 13h46min

Rafaela Silva e Felipe Kitadai são ouro, e Larissa Pimenta é bronze no campeonato internacional de judô

Campeã olímpica supera atual campeã mundial na final, e Brasil abre competição no Azerbaijão com três medalhas

Globo Esporte
IJF
O Brasil começou muito bem o Grand Slam de judô de Baku. Nesta sexta-feira (10), Rafaela Silva e Felipe Kitadai levaram o país ao topo do pódio no Azerbaijão. A campeã olímpica inclusive venceu na final a atual campeã mundial, a japonesa Tsukasa Yoshida. Além dos dois ouros, a jovem Larissa Pimenta conquistou um bronze. Foram três medalhas em cinco categorias disputadas no dia, liderando o quadro de medalhas.

Campeã olímpica > campeã mundial

A luta que encerrou o dia foi certamente a mais aguardada. Rafaela Silva, atual campeã olímpica da categoria leve (-57kg), tentava dar o troco em Yoshida, atual campeã mundial e vice em 2017. A japonesa havia levado a melhor no Grand Slam de Dusserldorf, em fevereiro, quando as duas também mediram forças na final. Desta vez Rafaela dominou o duelo. Yoshida até tentou impor um ritmo forte, mas foi a campeã olímpica que encaixou os golpes mais perigosos até conseguir um waza-ari no minuto final. Foi a primeira vitória de Rafaela em quatro confrontos no histórico contra Yoshida. Foi também o primeiro título da brasileira neste ano depois de quatro pratas seguidas e uma quinta posição no Grand Slam de Paris.

"Estou muito feliz com meu desempenho aqui na competição. É meu primeiro Grand Slam com vitória. Muito feliz por realizar mais um sonho. Feliz não só por ganhar, mas também porque consegui soltar golpes e arriscar algumas coisas. Estou feliz de estar com essa intensidade na reta final para o Mundial. É manter os treinos e foco nos próximos objetivos", disse Rafaela.

No caminho até a final, Rafaela venceu por um ippon e um waza-ari a sérvia Marica Perisic. Depois encaixou mais um ippon na francesa Helene Receveaux, bronze no Mundial de 2017. Na semifinal, a húngara Hedvig Karakas, bronze no Mundial de 2009, também foi superada, com um waza-ari.

Medalhista olímpico tem que respeitar

Bronze na Olimpíada de Londres 2012, Felipe Kitadai teve um dia brilhante em Baku. Na categoria ligeiro (-60kg), ele abriu a disputa com um duelo duro com o azeri Orkhan Safarov, vice-campeão mundial de 2017, mas conseguiu um waza-ari no golden score. Ainda passou pelo russo Islam Yashuev por waza-ari nas oitavas de final e pelo georgiano Jaba Papinashvili, atual campeão mundial júnior, também por waza-ari, só que no golden score. Na semifinal, ele virou a luta contra o espanhol Francisco Garrigos com dois waza-aris nos 30 segundos finais. A decisão foi contra mais um judoca da Geórgia, Temur Nozadze. O medalhista olímpico do Brasil não deu chances ao rival, encaixou um waza-ari e logo depois um ippon com apenas 1m36s de combate.

Foi o primeiro ouro de Kitadai em uma etapa do Circuito Mundial (Masters, Grand Slam ou Grand Prix). Ele se emocionou e chorou bastante porque sabe que a vitória em Baku pode ter lhe garantido a vaga no Mundial de Tóquio. Só ao fim do Grand Slam que a seleção brasileira vai ser formada, mas ao menos Kitadai já superou Phelipe Pelim, que em Baku venceu o turco Samet Kumtas por ippon, mas foi imobilizado pelo russo Yago Abuladze na segunda rodada.

Disputa por medalha entre brasileiras

Na categoria meio-leve feminina (-52kg), um duelo brasileiro decidiu um dos bronzes. Eleudis Valentim passou pela cazaque Anna Kazyulina, pela espanhola Ana Perez Box e pela suíça Evelyne Tschopp. Só parou na semifinal por um waza-ari diante da francesa Amandine Buchard, bronze no Mundial do ano passado. Larissa Pimenta, por outro lado, venceu por ippon a espanhola Estrella Lopez Sheriff e a polonesa Agata Perenc, mas foi imobilizada nas quartas de final pela japonesa Ai Shishime, atual vice mundial e campeã do Mundial de 2017. Larissa se recuperou na repescagem superando a russa Alesya Kuznetsova por um waza-ari no golden score.

O duelo pelo bronze entre as duas brasileiras foi acirrado, afinal as duas se conhecem muito bem. Eleudis começou melhor, mas Larissa cresceu e conseguiu o waza-ari no golden score. Foi o primeiro bronze da jovem de 20 anos em Grand Slam, que estava embalada pelo título do Campeonato Pan-Americano. Larissa subiu ao pódio pela sétima vez em oito competições que disputou neste ano - só ficou sem medalha no Grand Slam de Paris, quando foi a sétima colocada.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp