15/08/2019 às 14h14min - Atualizada em 16/08/2019 às 10h51min

Número de produtores orgânicos cresce 300% no Brasil

Em menos de uma década, o crescimento registrado é de 300% no número de agricultores orgânicos, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)

DINO
http://www.brazil.ecocert.com/index/
Reprodução

O mercado de orgânicos é um dos que mais cresce no Brasil - o setor faturou R$ 4 bilhões no ano passado, o que corresponde a uma expansão de 20% com relação a 2017. Estes números do Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis) confirmam que o mercado consumidor está buscando uma alimentação mais saudável. Para atender a esta demanda, a produção também aumentou. Em menos de uma década, o crescimento registrado é de 300% no número de agricultores orgânicos, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Para que possam comercializar seus produtos no Brasil com a denominação de "orgânicos", é necessário que os agricultores regularizem a sua produção obtendo uma certificação através de um Organismo de Avaliação de Conformidade Orgânica (OAC), credenciado pelo MAPA. Um exemplo de OAC é a Ecocert Brasil, subsidiária do Grupo Ecocert, a maior certificadora de orgânicos do mundo. "A certificação garante ao consumidor que ele está adquirindo um produto realmente orgânico. Somos responsáveis por avaliar a área de cultivo e de beneficiamento, além do transporte, armazenamento e estocagem para confirmar a rastreabilidade", explica o gerente nacional da certificadora, Alexandre Schuch.

Outras possibilidades de certificação orgânica são a partir de um Organismo Participativo de Avaliação de Conformidade (OPAC) ou na formação de uma Organização de Controle Social (OCS) - estes casos são voltados apenas para produções comunitárias, pequenos grupos de produtores e agricultores familiares.

A certificação dos orgânicos será pauta da conferência "Orgânicos, Naturais e Veganos", na Food Ingredients South America (FiSA), o mais completo evento de ingredientes alimentícios da América Latina. Schuch e a gerente de qualidade da Ecocert, Luiza Reguse, irão apresentar os "Desafios da Certificação e Rastreabilidade de Orgânicos" no dia 20 de agosto, às 16h40, no Transamerica Expo Center, em São Paulo (SP). As inscrições devem ser realizadas no site oficial do evento.

A importância do selo

Os Estados Unidos respondem quase pela metade da produção orgânica mundial. Na sequência se encontram Alemanha, França, China e Canadá. O Brasil, por sua vez, é líder deste segmento na América Latina. Mas, ainda é um setor que tem muito a crescer no país - considerando a extensão de terra brasileira dedicada a este tipo de produção, o país ocupa apenas a 12ª posição mundial.

No Brasil, a lei Nº 10.831/2003 regulamenta a produção e comercialização de orgânicos há 15 anos. A partir daí, a certificação orgânica por auditoria surgiu para que o consumidor possa ter total confiança no produto que está à sua mesa. O resultado deste processo é o selo na embalagem do produto orgânico. "Este selo carrega a confirmação de que o produto foi mapeado desde o campo, considerando a localização de plantio e uso de insumos, até chegar ao local de venda. É uma forma de segurança para o consumidor", comenta Luiza. Na FiSA, ela irá abordar a garantia de rastreabilidade na questão do processamento na indústria alimentar.

Além de proteger o consumidor diante de produtos em não conformidade com as regras voltadas para os orgânicos, a certificação também agrega valor ao produto. "Trata-se de uma chancela importante na hora de comercializá-lo, ainda mais na hora de exportar". A certificação orgânica fará parte da apresentação de Schuch na FiSA, que será dedicada aos desafios e oportunidades do processo.

 

Website: http://www.brazil.ecocert.com/index/
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp