19/11/2019 às 15h19min - Atualizada em 20/11/2019 às 08h00min

Combate ao racismo é tema de cartilha que será lançada pelo ANDES em Campos

Tema foi destaque no programa 'A Voz de Campos' desta terça-feira (19)

Redação
Reprodução
Nesta quarta-feira (20), é comemorado nacionalmente o Dia da Consciência Negra, e para ampliar o debate e mobilizações de combate ao racismo na sociedade que representantes da ADUENF - A Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense – estiveram presentes no programa ‘A Voz de Campos’ desta terça-feira (19).

Falando sobre o lançamento da cartilha do ANDES de combate ao racismo, a vice presidente, Luciane Silva e a assessora de imprensa Bruna Machel, explicaram como funciona o material e qual a importância para a população. O ANDES é um Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior.

O material aborda temas como a construção do racismo na sociedade brasileira, além da centralidade das lutas antirracistas e o papel do feminismo negro como forma de combate ao crime de racismo

“Essa cartilha faz parte de um resultado congressual, de uma compreensão do racismo como um problema estrutural na sociedade brasileira.”, explicou Luciane.

A Bruna Machel divulgou toda a programação do evento. “É importante a gente fazer o debate político sobre essa temática, mas também criar um espaço de cultura, de troca de experiências, diálogos”, afirmou.

Durante o evento haverá debates, exposição de capoeira, trabalho de extensão, além da apresentação de cantores. 

A cartilha assim como o material de combate às opressões assume grande importância na atual conjuntura. O conteúdo contribuirá não só para debates nas universidades e sindicatos, mas também, na política.

“Isso ai é um debate que a gente precisa fazer, sobretudo, agora nessa conjuntura. Porque, é uma cultura de muito mascaramento dos problemas do Brasil.”, concluiu Bruna.

Durante a programação também foi discutido sobre a questão de cotas nas universidades, estética, mercado de trabalho e como a discriminação racial afeta de diferentes fomas homens e mulheres.

“Os homens no Brasil e no mundo como um todo, tendem a receber discriminação racial de uma forma direta na morte física. No caso do Rio de Janeiro, por exemplo, a morte por arma de fogo atinge muito mais homens jovens negros e pela prisão.”, explicou Luciane Silva.

O lançamento da cartilha será na próxima terça-feira (26), a partir das 18h, na sede da ADUENF, na UENF.

O programa pode ser conferido na íntegra através do link:
Aqui.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp