02/12/2021 às 12h51min - Atualizada em 02/12/2021 às 11h00min

Campos : Dezembro Vermelho tem debate em defesa da política contra o HIV/AIDS

Jornal Aurora - Redação
ASCOM
Foto:Divulgação / Secretaria de Saúde
Com o tema “A vida é mais forte que a AIDS. Previna-se!”, foi lançada, na manhã desta quarta-feira (1º), a campanha pela Prevenção e Tratamento ao HIV/AIDS da região Norte Fluminense. A mobilização, que aconteceu na sede da 12ª Subseção da Ordem dos Advogados (OAB), faz parte do Dezembro Vermelho e envolveu representantes de diversas instituições, entre elas, a Secretaria Municipal de Saúde que, por meio da Atenção Básica está articulando a implementação do Centro de Acolhimento e Atendimento à Comunidade LGBTQIA+ para 2022, e do Centro de Cidadania LGBTQIA+ do Norte Fluminense.

Durante o evento também foi lida pelo ativista e representante da Frente LGBTQIA+ do Norte Fluminense, Salvador Correa, a carta em defesa do fortalecimento da política em resposta ao HIV e à ADIS em Campos e região. O documento é uma convocação aos órgãos públicos municipal, estadual e federal em conjunto com a sociedade civil a assumirem compromissos de, por exemplo, ampliar ações no Centro de Doenças Infecto-Parasitárias (CDIP), órgão público de referência em atendimento e acolhimento às pessoas vivendo com HIV na região, fortalecimento dos direitos humanos das pessoas afetadas pela pandemia da doença, ampliar o acesso à política de prevenção combinada, e de campanhas de incentivo à prevenção do HIV, entre outras.

“A ideia dessa carta é justamente a desconstrução de estigmas, além de garantir acesso à testagem por decisão informada porque na pandemia caiu muito a número de testagem no mundo inteiro”, disse Salvador, acrescentando que “existe um esforço do poder público municipal que nos últimos meses está avançando na assistência que é feita através do CDIP”. A carta pode ser acessada na íntegra através do Instagram @frentelgbtqia.

“O objetivo é sensibilizar a população sobre a importância de políticas de ações recessitivas de prevenção em relação às DSTs e do tratamento dessa população LGBTI, bem como de mulheres que também são bastante acometidas”, completou Juliano Rangel, coordenador do Centro de Cidadania LGBTI do Norte Fluminense.

A  Atenção Básica já vem implementando políticas de enfrentamento ao HIV e infecções sexualmente transmissíveis (ITS), através do CDIP, onde já é feita a Profilaxia Pós-Exposição (PEP) e Pré-Exposição (PREP) ao HIV, inclusive com a descentralização da testagem para sete Unidades Básicas de Saúde. Também trabalha a criação do Centro de Acolhimento e Atendimento à Comunidade LGBTQIA+. “Estamos na fase de montagem da equipe, fazendo as adequações da área física do CDIP onde irá funcionar o Centro e, posteriormente será feita a solicitação junto a Secretaria de Estado de Saúde para implementação do Centro. Esperamos estar com o programa funcionado já no primeiro trimestre de 2022”, explicou o diretor de atenção Básica e infectologista Rodrigo Carneiro.

A luta, principalmente contra o vírus HIV/Aids em Campos, acontece a 40 anos. Segundo dados do CDIP, atualmente há 5 mil são portadores do vírus HIV cadastrados no órgão. De janeiro a novembro deste ano foram diagnosticados 225 novos casos de HIV. Já no ano passado foram 150 casos de janeiro a dezembro. Já em 2019 foram 250 diagnósticos positivos. “Aqui em Campos lutamos muito para esses números não cresçam e, essa estratégia de informação e medidas para profilaxia é importante para evitar que as pessoas se infectem”, disse.

Conquista — Também participou do evento Lavínia Carolino Francisco, de 32 anos. Ela foi a primeira transexual de Campos a conquistar a troca do prenome e sexo no registro civil. O documento foi expedido no último dia 15. “Foi uma conquista maravilhosa. Antes me sentia com vergonha quando era chamada pelo nome masculino. Estou muito feliz”, disse. Outras 63 pessoas já iniciaram o processo no município.

Ainda participam das ações do Dezembro Vermelho a Coordenação do Serviço Social da Secretaria de Saúde, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos de Campos, Movimento Mães pela Resistência e Movimento Mães pela Diversidade, Frente LGBTQIA+ do Norte Fluminense, Núcleo de Estudo sobre Gênero, Diversidade e Sexualidades (Nugedis) do Instituto Federal Fluminense, Casa Irmãos da Solidariedade e OAB Mulher.

PROGRAMAÇÃO:
Dia 03/12 - Oferta de Teste Rápido Diagnóstico, na sede do Programa Municipal DST/AIDS e nas UBSs

Dia 08/12 - Live às 17h, através do endereço eletrônico https://met.google.com/hvu-nyuu-mxp
Tema: “Trabalho profissional com HIV e AIDS: uma perspectiva histórica”. Palestrantes: Maria Clélia Pinto Coelho, Fátima Castro e Salvador Corrêa.
Roda de Conversa no CRIART e Fundação Zumbi dos Palmares. Tema: “Infecção Sexualmente Transmissível e HIV/AIDS”

Dia 14/12 Aula teórica, das 8h às 19h, sobre o tema “Teste Rápido Diagnóstico”. Palestrante: Rodrigo Rodrigues de Azevedo, Leonardo Marques Pessanha e Hélia Vargas Simões. Público alvo: dentistas e enfermeiros da rede municipal Local: Faculdade de Medicina de Campos

Dia 15/12 Cine–Debate, às 19h. Tema: “Curta metragem sobre HIV, H o quê??? Participação: Representantes do Programa Municipal DST/AIDS e Hepatites Virais e Subsecretária de Igualdade Social e Direitos Humanos

16/12 a 22/12 - Aula prática, das 8h às 19h. Tema: “Teste Rápido Diagnóstico”. Palestrante: Rodrigo Rodrigues de Azevedo, Leonardo Marques Pessanha, Hélia Vargas Simões Público alvo: dentistas e enfermeiros da rede municipal Local: Sede do Programa Municipal DST/AIDS.


SIGA-NOS NO INSTAGRAM: @redeauroraplay
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp