16/11/2021 às 17h51min - Atualizada em 16/11/2021 às 18h40min

Startup Connecting Food cobra aprovação de política nacional de redução de desperdícios de alimentos

Startup acompanha a aprovação de política nacional de redução de desperdícios de alimentos. Empresa que faz a gestão da redistribuição de alimentos excedentes explica que o PL2874/2019, em tramitação no Senado, colocará o tema como uma prioridade e permitirá aumento de doações.

SALA DA NOTÍCIA Valle da Mídia
Enquanto mais da metade da população brasileira encontra-se em situação de insegurança alimentar, sem acesso pleno e permanente a alimentos, um importante projeto de lei tramita com lentidão por comissões do Senado. Com o PL 2874/2019, uma política nacional de redução de perdas e desperdícios de alimentos será instituída no Brasil, fazendo com que iniciativas como a da startup de impacto social Connecting Food possam beneficiar ainda mais pessoas em situação de vulnerabilidade.

A startup atua conectando indústrias, mercados e restaurantes com alimentos disponíveis para doação e as Organizações de Controle Social (OCSs) que utilizam os produtos doados (sempre dentro da validade e condições nutricionais de uso). Desperdiçadas todos os dias, toneladas de alimentos poderiam chegar a quem precisa caso o país contasse com uma lei mais completa.

“Expandir a doação de alimentos no Brasil é urgente. Precisamos melhorar todas as condições necessárias ao ambiente das doações, incluindo as políticas públicas. Não podemos viver em um mundo em que há comida sendo produzida por um lado e pessoas passando fome de outro. É um grande paradoxo”, comenta a fundadora da Connecting Food, Alcione Silva, que já realizou trabalhos de consultoria técnica na área para a FAO e Ministério da Cidadania.

Alcione explica que o PL em tramitação no Senado aperfeiçoa a Lei 14.016/2020 que trata do combate ao desperdício de alimentos e a doação de excedentes, autorizando a doação de alimentos dentro da validade e das condições ideais de conservação e próprias ao consumo humano. Entre as mudanças importantes do projeto ainda não aprovado, está a criação da política nacional de redução de perdas e desperdícios de alimentos, o aumento da dedução do imposto de renda de 2% para 4% para as doações realizadas e a formulação de objetivos que o governo deverá cumprir para a redução das perdas e desperdícios.

A chegada do coronavírus agravou muito a situação de quem passa fome no país. Conforme estudo realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan) 55,2% dos lares brasileiros conviveram com algum grau de insegurança alimentar no final de 2020 e 9% deles vivenciaram insegurança alimentar grave, isto é, passaram fome.

É por causa de dados como este, que quantificam cenas vistas diariamente nas ruas das grandes cidades, que trabalhos como o da startup são tão necessários. Criada em 2018, a Connecting Food já possibilitou o redirecionamento de mais de 4 mil toneladas de alimentos em mais de 500 pontos de varejo, com mais de 350 OCSs beneficiadas.


Sobre a Connecting Food

A Connecting Food é uma startup de impacto social, fundada em 2018, que faz a gestão da redistribuição de alimentos excedentes, sem valor comercial, mas bons para consumo, para varejos, indústrias e restaurantes. Os alimentos são doados para OSCs parceiras, que os utilizam para preparar refeições para pessoas em situação de vulnerabilidade social. São mais de 450 pontos de varejo monitorados em diversos Estados brasileiros e mais de 350 OSCs beneficiadas com mais de 6 milhões de porções frutas, legumes e verduras.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp