01/09/2021 às 14h05min - Atualizada em 01/09/2021 às 14h05min

Programa “A voz de Campos” comentou as grandes revelações do que acontece nos bastidores dos partidos políticos; nessa última terça-feira

Jornal Aurora - Redação
Edmara Andrade
Jornal Aurora
O Programa “A voz de Campos” dessa terça-feira, debateu sobre o tema – revelações do que acontece nos bastidores dos partidos políticos. A programação diária tem à frente o diretor/presidente do grupo, Germando Santos. O apresentador recebeu convidados ilustres nos estúdios da Rede Aurora de Comunicação, Campos dos Goytacazes. No primeiro bloco, Germando recebeu na bancada, o educador Charles Costa, e o jornalista, José Maria Mattar. Já no segundo bloco, ele recebeu a advogada, Doutora Nayara Cordeiro.

O tema foi um assunto relevante para toda sociedade. Germando Santos iniciou o programa dando voz ao Charles Costa, que comentou sobre a importância da política para toda população. Ele comentou: “Todos nós nos envolvemos com política, independente de gostarmos ou não”, comentou o convidado. Charles, que é educador universitário do curso de pedagogia e licenciatura do ISEPAM, presidente fundador do Centro Acadêmico de Pedagogia do ISEPAM, contou sua trajetória na educação, onde participou na década de 90 do movimento estudantil, e conquistou o passe livre na cidade de Campos.

Nosso comentarista, José Maria, falou sobre a pauta – presidente de 11 partidos se unem contra voto impresso e reafirmam confiança nas eleições, decisão que deve frear mudanças defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro. “Durante um período, o congresso aprovou o voto impresso e auditável. Existem provas praticamente concretas, que você chegava lá para votar em um determinado número, aparecia outra imagem”, disse o jornalista.

Ele ainda explicou como seria o voto impresso.

“A esquerda tenta mascarar de uma forma diferente. Vamos explicar, como vai ser o voto impresso: Você vai na urna e vota, vou votar no X, número XX por exemplo. Digito e logo vai aparecer o rosto do candidato, onde vou confirmar na máquina, em anexo e lacrada com visor. E quando você confirma, sai um “papelzinho” rodando, confere o nome do seu candidato, aperta de novo e esse “papelzinho” solta e fica arquivado. Se amanhã você quiser fazer uma auditagem, você vai lá e abre. Mas, eles não querem isso”, explicou Mattar.

Ainda no primeiro bloco, o apresentador Germando, enfatiza o trabalho do atual prefeito Wladimir Garotinho, que está colocando a folha de pagamento do funcionário público em dia, pagando seus fornecedores, pagando dívidas e negociando com a caixa econômica. O apresentador também recebeu a ligação durante o programa, como sempre dando voz ao povo. Por telefone, o Marcelo Sá desabafou: ” Eu fui filiado ao PSC, mas a partir do momento que iria caminhar com o atual prefeito, eu desisti e mudei de partido e toda infelicidade de estar em um suposto partido. Eu costumo dizer que foi uma das piores experiências que eu tive”.

Fechando o segundo bloco do programa, a doutora Nayara esclareceu, sobre os cartórios de Campos estarem autorizados a registrar crianças com o sexo ignorado. Ela explica que existem casos em que a criança nasce com uma anomalia, então ela nasce com praticamente os dois sexos, em que o médico não consegue visualizar e identificar o sexo do bebê. Onde é raro acontecer, mas que acontece. Ela explica qual era a procedência, antes dessa autorização dos cartórios.

“Os pais iam registrar e o cartório não aceitava, porque tinha que entrar com um processo judicial, que demora bastante tempo. E o que acontece, essa criança fica sem certidão e fica prejudicada. Então, como na nossa constituição, a criança tem prioridade, agora o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), aprovou”, explicou a advogada.

Quanto ao nome, Nayara esclareceu que o CNJ pede que seja um nome neutro, que não obriga os pais a colocarem até resolver a situação. Nayara Cordeiro explicou que depois que se revolve a situação da criança, pode voltar no cartório e colocar o sexo do bebê, pois fica em sigilo e ninguém fica sabendo que essa criança nasceu dessa forma. Que não vai ter no relatório dessa criança que ela nasceu assim e mudou, e é somente para questão de saúde. Ela finaliza dizendo: “Não é para qualquer pessoa, que quer chegar lá no cartório e não quer colocar o sexo da criança, não é assim que funciona, é uma questão de saúde. Eu acredito que é uma mudança positiva por conta dos pais”, concluiu.

O programa “A voz de Campos” vai ao ar de segunda a sexta-feira das 08h às 10h, pelas plataformas digitais ao vivo - FacebookInstagram e YouTube. Um espaço aberto para dar vez e voz a toda sociedade.
 

 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp