12/03/2020 às 08h00min - Atualizada em 12/03/2020 às 08h00min

Prefeitura e polícias se unem para combater crimes em escolas

Policiamento ostens.vo já foi reforçado e haverá reunião com os vigias das unidades.

Supcom
Supcom
Com o intuito de combater os sucessivos arrombamentos sofridos pelas creches e escolas do município nas últimas semanas, autoridades da Prefeitura de Campos — Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Smece), Guarda Municipal e Secretaria de Segurança Pública —, Polícia Civil e Militar se reuniram nesta quarta-feira (11) na sede do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Na ocasião, foram elencadas algumas estratégias e ações para reprimir e prevenir novas ocorrências, entre elas o policiamento ostensivo, o desligamento de alguns vigias das unidades escolares vitimadas, o envolvimento da comunidade e a prisão de duas pessoas identificadas pela polícia como alguns dos mentores das ações.

"A reunião foi importante para efetivação de um plano estratégico para combatermos este vandalismo que as nossas escolas estão sofrendo. Cada órgão público ocupa seu espaço. A principal ação da secretaria de Educação é municiar de informações a guarda e as polícias e identificar os funcionários que não estavam trabalhando quando deveriam. Como não somos um órgão com fim de combate ao crime, somos vítimas, neste caso, estamos colaborando de forma intensiva para combater o crime nas nossas escolas ", explicou o secretário de Educação, Brand Arenari.

A onda de crimes contra a rede municipal de educação começou a ocorrer de forma sistemática a partir da segunda semana de fevereiro, quando, em um mesmo final de semana, cinco unidades foram arrombadas. Ao todo, foram mais de 25 invasões em 13 prédios. Na maioria dos casos, nada de valor foi levado, entretanto, o rastro de destruição de portas, muros, janelas, grades e armários geram prejuízos aos cofres públicos e interferem na rotina de aulas e de manutenções de unidades. O valor total ainda está sendo calculado, mas estima-se que, só de troca de portas, já chegue aos R$ 30 mil.

"Nós já temos dois indivíduos identificados, que arregimentam pessoas para cometer estes crimes. Trata-se de um duplo fenômeno: o vandalismo e o furto. Estamos, nesta reunião, traçando um tripé de medidas para trazer estabilidade para a segurança dos órgãos públicos", antecipou o delegado titular da 146ª Delegacia de Polícia de Guarus, Pedro Emílio Braga.

De acordo com o tenente-coronel Luiz Henrique Monteiro, comandante do 8º BPM, o policiamento ostensivo já foi intensificado. “Os policiais têm a lista das escolas, vão nas portas destas unidades no período noturno, quando ocorrem a maioria dos arrombamentos e desembarcam com lanternas. Mas é um crime difícil de coibir por ser intramuro. Sabemos que é um grupo pequeno se aproveitando das oportunidades, mas a solução está em ações em conjunto. As polícias, a guarda, a secretaria de educação e os vizinhos das escolas. Pedimos para que se virem alguma atividade suspeita que liguem pra nós (190),” disse o comandante. 

Dentro do plano de ações, o comandante participou de uma reunião com diretoras de escolas e sugeriu marcar uma reunião com os vigias das unidades.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp