04/02/2020 às 17h07min - Atualizada em 05/02/2020 às 08h00min

Quadro 'A Hora da Saúde' trás debate sobre reabilitação cognitiva em idosos

A reabilitação cognitiva consiste em um conjunto de práticas que tem como objetivo reduzir os déficits causados por problemas neurológicos.

Redação
Reprodução
Envelhecer é um processo natural e gradativo e com o passar dos anos, através de diversos estudos, foi possível descobrir que determinadas áreas do cérebro são capazes de assumir funções de outras quando sofrem lesões. Sendo assim, a importância da reabilitação cognitiva para reduzir os variados tipos de déficits, especificadamente em idosos. 

O tema foi abordado no quadro ‘A Hora da Saúde’ apresentado no programa ‘A Voz de Campos’ de segunda-feira (03). Sob apresentação do Dr. Walmir de Lima e tendo como convidadas a fisioterapeuta, Fernanda Sardinha, a nutricionista, Hidylaine Campos e com participação do Dr. Paulo Marcelo e Dr. Katerine Fontoura, o programa esclareceu as dúvidas dos interespectadores.

A reabilitação cognitiva consiste em um conjunto de práticas que tem como objetivo reduzir os déficits causados por problemas neurológicos como Alzheimer, AVC, doença de Parkinson entre outros. Segundo Dr. Paulo, o objetivo do tratamento é garantir que o paciente tenha autonomia e independência funcional.

Quando relacionado a idosos, essa técnica tem como objetivo ajudar pacientes e familiares a conviver ou superar os déficits cognitivos e as limitações emocionais, ambientais e sociais, proporcionando melhora na qualidade de vida, incluindo melhor interação social.

“A gente pode passar algumas técnicas de estimulação, até para quem estiver com o idoso fazer no dia a dia, como leituras, figuras, palavras e músicas, tentando resgatar ao máximo a memória.” afirmou Dr. Katerine. 

A estimulação cognitiva deve ser personalizada para cada indivíduo a partir do perfil cognitivo e do repertório intelectual e social do paciente anterior à doença ou pode também ser realizada em grupos. E segundo Hidylaine, é importante que o cuidador ou a própria família entenda a limitação do idoso.

A fisioterapeuta Fernanda enfatizou sobre as mudanças de hábitos na vida desses idosos. Como mudar de residência e familiares realizando atividades básicas para o paciente, que ao invés de ajudar pode estar atrapalhando o seu desenvolvimento durante a reabilitação.

As atividades propostas devem gerar motivação e sensação de competência. 


Para mais informações sobre o tema, o programa pode ser conferido na íntegra através do link: Aqui.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalaurora.com.br/.
Jornal Aurora Publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp