28/11/2019 às 15h08min - Atualizada em 29/11/2019 às 07h08min

Caos na saúde: Manifestações, demissões e reunião no Cesec na próxima segunda (02)

Segundo presidente do Sindicato da Saúde, Carlos Morales, 40 funcionários do Hospital Beneficência Portuguesa foram demitidos na quarta-feira (27).

Redação
Arquivo
Cerca de 250 funcionários dos hospitais filantrópicos de Campos realizaram uma manifestação na Câmara Municipal na tarde de quarta-feira (27). O ato teve como objetivo pedir ação e fiscalização do poder executivo em função da falta de repasse das verbas por parte da prefeitura.

Segundo o presidente do Sindicato da Saúde, Carlos Morales, os profissionais estão há quatro meses com os salários atrasados. Além, de estarem sem receber o 13º salário de 2018.

“A situação é gravíssima, a ponto de alguns hospitais estarem fechando setores de Pediatria, UTI”, afirmou.

Carlos Morales informou que devido à gravidade da situação, 40 funcionários do Hospital Beneficência Portuguesa foram demitidos na quarta-feira (27). Segundo o presidente, alguns funcionários também já pediram demissão pela falta de pagamento.

Na terça-feira (26), uma
manifestação também foi realizada por profissionais do Sindicato da Saúde, em frente ao Hospital Psiquiátrico Dr. João Viana.  O ato ficou concentrado em frente ao hospital, no Parque Rosário e depois foi para Avenida 28 de Março.

De acordo com Morales, além dos atrasos nos pagamentos e do 13º salário de 2017 e 2018, os pacientes da unidade estão sem alimentação. 
O presidente questionou caso o Hospital Dr. João Viana feche as portas, para onde irão os pacientes.

“Só há um hospital psiquiátrico em todo Norte e Noroeste Fluminense. As pessoas têm que entender que a situação é gravíssima.”, declarou Carlos. 

Uma reunião foi marcada para a próxima segunda-feira (01), na sede da Prefeitura (Cesec) para que todas essas questões sejam abordadas. Estarão presentes o presidente da Câmara, Fred Machado,  sindicatos dos hospitais contratualizados, funcionários dessas unidades, o secretário de Saúde, Abdu Neme, o procurador do município e outras autoridades para tentarem chegar a um acordo diante a caótica situação na saúde de Campos.

Em nota na quarta-feira (26), a prefeitura infomou:


"Os repasses federais de toda a rede contratualizada estão em dia e o último pagamento foi realizado ainda este mês. Através da Secretaria Municipal de Saúde, foram repassados este ano um total de R$ 130.729.680, 71 em recursos federais e municipais à da rede contratualizada — que inclui Santa Casa de Misericórdia, Beneficência Portuguesa, Álvaro Alvim e Plantadores de Cana, o Abrigo Doutor João Viana, entre outros. No ano de 2019, as unidades já receberam R$ 82,9 milhões em recursos federais, mais R$ 47,8 milhões em recursos municipais. A Prefeitura de Campos complementa a tabela SUS, como poucos municípios no Brasil.   

A Prefeitura segue realizando, ainda, pagamentos, inclusive conforme definido em juízo aos hospitais contratualizados, após recebimento da parcela de Participação Especial 50% menor do que o previsto. A Secretaria Municipal de Saúde informa que aguarda posicionamento do Estado quanto à data prevista para repasse da emenda (no valor de R$8 milhões) direcionado aos hospitais contratualizados."

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp