26/07/2019 às 14h53min - Atualizada em 26/07/2019 às 14h53min

Hospital Álvaro Alvim vai receber R$ 2 milhões para tratamento oncológico

A direção do Álvaro Alvim destacou que os novos recursos vão possibilitar aumento de 20% no número de atendimentos até o final de 2019

Ascom
Reprodução
A Secretaria Estadual de Saúde (SES) vai encaminhar R$ 2 milhões para o Hospital Escola Álvaro Alvim (HEAA) para tratamento oncológico de pacientes de Campos e região. A liberação de recursos foi uma articulação do deputado federal Wladimir Garotinho (PSD/RJ). A verba será referente ao valor retroativo corresponde ao período desde a publicação da Resolução 1748, de outubro de 2018, que determinou uma espécie de bônus para as Unidades de Alta Complexidade em Oncologia (Uncacons) que cumprissem determinada meta.

Após contato do deputado federal, a secretaria estadual de Saúde do Rio solicitou à Prefeitura de Campos que os dados de atendimento oncológico fossem repassados ao Estado. Tais informações, que, de acordo com o deputado, estariam há cerca de nove meses sem atualização, servirão para a aplicação da Resolução aprovada em outubro passado. Além disso, com o cumprimento das metas, o Álvaro Alvim vai receber um incentivo de cerca de R$ 500 mil mensais. O HEAA atualmente é responsável por 60% dos atendimentos oncológicos em Campos e região.

A direção do Álvaro Alvim destacou que os novos recursos vão possibilitar aumento de 20% no número de atendimentos até o final de 2019, a abertura do terceiro turno de radioterapia e o início do atendimento de braquiterapia previsto para agosto de 2019. Além disso, está planejado uma revitalização do setor de oncologia do HEAA, como a climatização de todas as enfermarias, ampliação das salas de quimioterapia e melhoria nos equipamentos de cirurgia oncológica.

De acordo com o deputado federal Wladimir Garotinho, a secretaria estadual foi muito solícita com o pedido por mais recursos para saúde da região. “Em entendimento com a secretaria de Saúde e o HEAA, foi reconhecida a necessidade de o Estado apoiar o serviço de oncologia para que mais pacientes possam ser atendidos na região”, explicou.

Para Márcio Sidney, presidente da Fundação Benedito Pereira Nunes (FBPN), entidade mantenedora do Hospital Escola Álvaro Alvim, esses recursos são fundamentais para a continuidade das operações e para atendimento à população. “Os hospitais filantrópicos e as Santas Casas de Misericórdia no Brasil passam por dificuldades e esse aporte terá um impacto inestimável para a região”, disse. Sidney também agradeceu o empenho do deputado federal Wladimir Garotinho. “O deputado tem intermediado importantes ações junto à secretaria estadual de Saúde e ao Ministério da Saúde que são de interesse do hospital e da sociedade campista”, completou.

A Prefeitura foi contestada sobre a questão do atraso nas informações citado pelo parlamentar e informou que “em virtude da solicitação ter chegado após às 17h, não foi possível consultar o sistema nesta quarta”.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp