28/07/2022 às 10h58min - Atualizada em 28/07/2022 às 10h58min

Campos intensifica ações de combate às hepatites virais

No município, este ano, já foram aplicadas 3.957 doses de vacina contra a hepatite B e 1.971 doses do imunizante para hepatite A

Jornal Aurora - Redação
PMCG
O Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, lembrado nesta quinta-feira (28), tem por finalidade reforçar as ações de vigilância, prevenção e controle dessas doenças, associadas à cirrose hepática e ao câncer no fígado. Em Campos, as vacinas contra as hepatites A e B estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades Pré-Hospitalares (UPHs), Hospital São José e na Cidade da Criança, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h e fazem parte do Plano Nacional de Imunizações (PNI). Já para a hepatite C, não existe imunização.

No município, este ano, já foram aplicadas 3.957 doses da hepatite B, ou seja, cobertura de 48,36%, e 1.971 doses do imunizante para hepatite A, o que representa 38,47% de cobertura.
De acordo com o subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (Subpav), o infectologista Rodrigo Carneiro, as hepatites A e B são doenças potencialmente graves, principalmente a B, que pode levar à cronificação da infecção com cirrose e hepatocarcinoma (tumor primário maligno mais comum no fígado). A hepatite A, na maioria das vezes, é autolimitada, mas eventualmente pode evoluir para um quadro fulminante, precisando, inclusive, de transplante de fígado. A imunização é essencial para evitar situações mais graves.

“São doenças com vacinas eficazes, seguras e que irão proteger, tanto contra quadros agudos, principalmente da hepatite A, onde os pacientes ficam ictéricos e vomitando; como para hepatite B, onde podemos prevenir o desenvolvimento de cirrose e hepatocarcinoma daqueles indivíduos que, porventura, venham a entrar em contato com o vírus”, frisou o médico.

VACINAS

A vacina para hepatite B deve ser administrada na maternidade, nas primeiras 12 horas de vida do recém-nascido. Posteriormente, são feitas mais três doses quando combinadas com a Pentavalente, totalizando quatro doses. Também é considerada imunizada a criança que receba três doses. Lembrando que, pessoa de qualquer idade e que não tenha comprovação de que tomou a vacina, também deve receber três doses do imunizante.

Já a vacina para hepatite A é aplicada em dose única para crianças de 1 ano e três meses a 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias). Após os 5 anos, o imunizante somente é encontrado na rede privada, para pessoas que não possuam comorbidades. Para esta população, a vacina é aplicada no Centro de Referência em Imunobiológicos Especiais (CRIE) nas seguintes condições: Hepatopatias crônicas de qualquer etiologia, inclusive portadores do vírus da hepatite C (VHC); Portadores crônicos do VHB; Coagulopatias; Pacientes com HIV/AIDS; Imunodepressão terapêutica ou por doença imunodepressora; Doenças de depósito; Fibrose cística (mucoviscidose); Trissomias; Candidatos a transplante de órgão sólido, cadastrados em programas de transplantes; Transplantados de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas (medula óssea); Doadores de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas (medula óssea), cadastrados em programas de transplantes; e Hemoglobinopatias.

PROGRAMAS E AÇÕES

Para celebrar o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, profissionais da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) – programa vinculado à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) –, farão amanhã (29), na Cadeia Pública Dalton Crespo de Castro e no Presídio Feminino Nilza da Silva Santos, várias ações educativas, com palestras, testes rápidos e distribuição de preservativos para a população privada de liberdade. Na última quarta-feira (27), a ação aconteceu no Presídio Carlos Tinoco da Fonseca.

Além de ações pontuais, como a capacitação dos profissionais de saúde realizada nos últimos dias 13 e 14, diariamente há assistência à população, inclusive com realização testes rápidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no Centro de Doenças Infecto-Parasitárias (CDIP), que funcionam das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. Em caso de resultado positivo, o tratamento está disponível na rede pública de saúde.

Para melhorar o acesso, o agendamento de teste online está disponível no site da Prefeitura, independente da região em que a pessoa reside. O teste é sigiloso, confiável e rápido.
A hepatite é uma inflamação do fígado que pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns medicamentos, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas ou genéticas. O diagnóstico precoce favorece o início do tratamento, que é de três a seis meses, a depender da condição clínica do paciente.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalaurora.com.br/.
Jornal Aurora Publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp