30/05/2019 às 15h20min - Atualizada em 30/05/2019 às 15h20min

Dinheiro Público: Programa A Voz de Campos trás debate sobre gastos orçamentários de Campos

O Secretário Municipal de Gestão Pública, André Luiz, participou do programa para esclarecer dúvidas da população

Redação
Jornal Aurora
A cidade de Campos vem passando por momentos de tensão. Várias especulações, denúncias e reivindicações vêm sendo realizadas desde que o Prefeito Rafael Diniz assumiu a Prefeitura. Na última terça-feira (28), uma nota oficial informou que o Município não concederá o reajuste salarial aos servidores públicos. E, na quarta-feira (29) a Prefeitura divulgou que a inauguração da Unidade Pré-Hospitalar (UPH) São José foi adiada para junho. 

Para abordar esse assunto, que o Secretário Municipal de Gestão Pública, André Luiz, esteve presente no programa A Voz de Campos, na Rádio Aurora. Apresentado pelo jornalista Germando Santos e com a presença do comentarista Wagner Azevedo, o tema foi “Como está sendo usado o dinheiro público de Campos?”. 

O Secretário iniciou a entrevista falando sobre a PreviCampos e citando questões de roubos ao benefício. “No último semestre de 2016, meteram a mão no maior patrimônio do servidor, que é o PreviCampos. Ali é o nosso futuro, pode ser meu futuro amanhã”, disse. “Em dezembro de 2015, o patrimônio era de R$ 1 bilhão e 300 mil e caiu para R$ 800 milhões em dezembro de 2016”, relatou. 

“Quando eu cheguei lá sabia que muita coisa havia sido feita, eu só no sabia a proporção criminal do que foi feito, e isso é uma das coisas que impacta no momento que vivemos hoje”, afirmou André Luiz.

Servidores

Quando questionado sobre o reajuste dos servidores, o secretário André Luiz, explicou que a lei orçamentária impõe que o município gaste apenas 54% do orçamento. “Dia 21 de janeiro deste ano, a gente fechou o balanço do ano de 2018 e o gasto com o servidor estava em 47%. Ai sim, o Prefeito chamou tanto a mim, quanto a sua equipe econômica, e sentamos no meado de fevereiro, para conversar sobre o reajuste do servidor. O que poderia ser dado para não ultrapassar o limite prudencial de 51.3”, explicou.

“Nós começamos a verificar, tanto em nível de reposição salarial, qual era o percentual que poderíamos chegar, em relação ao auxilio alimentação. E, nós chegamos a uma conclusão que o máximo que poderia ser ofertado ao servidor seria os 12 meses do IPCA, que em março estava dando 4.18”, informou.  “O Prefeito sempre falou da possibilidade do reajuste, nunca afirmou. Houve um radicalismo. Porque a gente está vendo o cenário econômico não só do Município, mas do País. Um contingenciamento de verbas para a educação, com atraso de verbas federais chegando para o município. Os municípios já começaram a sofrer também com essas universidades”, completou André Luiz.

UPH São José

Durante entrevista, o Secretário de Gestão Pública informou que o Hospital São José vai ser inaugurado com seu pleno funcionamento no final de junho deste ano. “A gente não podia inaugurar um hospital amanhã (01) sendo que não estaria 100% do que vai ser ofertado à população em funcionamento”, disse.

“A prioridade desse governo, que não tem tanto recurso como tinha de 2016 para trás, é terminar o Hospital São José, com todas as dificuldades, com todos os problemas que a gente tem passado, inclusive com bloqueios judiciais, a gente vai terminar o Hospital São José e entregar ao pessoal da Baixada”, completou André.

A entrevista completa com o Secretário Municipal de Gestão Pública, André Luiz, pode ser conferida através do link: https://www.facebook.com/radioauroraoficial/videos/2053954698242725/

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp